domingo, 22 de junho de 2008

Vocês. Sejam quatro, cinco ou seis

Satisfação, em pequenos e calculados gestos e o sentimento de felicidade de um menino esperto, aprendendo o verdadeiro poder da cumplicidade.
Saber que pode, sempre que quiser, estar na presença de uma galera querida, mesmo que não sendo tão conhecida, mas que estará reunida sempre que um sorriso brotar dos lábios da menina ou a mão for estendida para um tapa forte no velho, nem tão velho, ombro amigo. O que paga a
lembrança de um velho tricolor que parace tão distante daquilo? Alegria de ter a imagem daquele aperto de mão dum rapaz de cabelo estilo.
O sobrenatural sentimento de se estar com uma pessoa que já não está, por meio daquela que aqui está, lembrar do saudoso Maricá.
Enganaram-no e enganaram-se com o que aqui ficou e sentiu, chorou, lembrou e sorriu.
Continuou.
Prosseguiu.
E ontem, novamente, sorriu: sorriu por dentro, sorriu por fora e hoje lembra dos quatro, cinco ou seis, que lembra agora e deixa a certeza de que este episódio foi marcado em sua história, e graças aqueles, o menino jamais esquece.
Sim, pode ter faltado uns três, dois, quem sabe um, mas o importante eles fizeram, não lembraram um só momento de que era dia vinte e um.

Foto: Google Imagens

Um comentário:

stefania disse...

Oi como vc colocou esse modelo? não achei no blogspot.
bjus