domingo, 8 de junho de 2008

Ísmo

Colaram na minha testa um adesivo escrito Ísmo
fiquei decepcionado com tanto egocentrismo
me sentindo encharcado em plena chuva de consumismo
estou sendo engolido pelo mal do capitalismo
não tenho pra onde correr
anarquismo?
ou socialismo?
já estou sendo criticado e acusado de egoísmo
vou seguindo, enfrentando a babaquice que é o racismo
me lembro muito bem do holocausto e do fascismo
sobrevivo na sociedade marcada pelo individualismo
servindo de quintal pros gringos do imperialismo
me obrigaram a escolher, ateísmo ou cristianismo?
igrejas construídas e mergulhadas em materialismo
fico embasbacado com todo esse cinismo
rótulos me perseguem até que eu
........................................caia
.............................................em
.................................................um
.....................................................
.....................................................
.....................................................
.....................................................abismo!

3 comentários:

Daniel Leite disse...

Fantástico o poema!

Deu para refletir bastante sobre todas as palavras com a terminação "ismo", de uso tão freqüente no dia-a-dia. Todas elas têm uma conotação ligada à repetição de alguns processos. E é justamente de repetições que o ser humano não precisa.

Muito legal a sacada do abismo, visto que a figura expressa o movimento de queda e também a saturação de todas essas coisas ligadas a consumismo, capitalismo, materialismo, rótulos - coisas das quais, acredito, ninguém agüenta mais ouvier falar.

Até mais!

Míope disse...

É verdade...São muitos ismos colocados na história. Muitos deles só levaram à destruição ou ao abismo, como você disse.

Gostei! Bem original.

Achei interessante a sua proposta de recomeço. E já começou bem.

Parabéns.
Seja bem vindo de volta.
Abç.

bá disse...

Tempos que não vinha aqui... gostei demaaaaaaaaaais desse!